Santo Franciscano do dia: S. Cornado de Placência S. Cornado de Placência

Eremita da Ordem Terceira de São Francisco (1290-1351), cujo culto mereceu a aprovação de Urbano VTII (12-09-1625).

Conrado Confaloniéri nasceu em 1290. Nobre, rico, feliz no casamento, era aficionado pela caça. Um dia em que andava com outros caçadores a perseguir uma presa, vendo-a embrenhar-se num espesso bosque onde lhe era impossível penetrar, resolveu lançar fogo ao matagal, para escorraçar o bicho. Sucedeu, porém, que o incêndio não pôde ser extinto nem controlado, alastrando e destruindo muitas colheitas e granjas das redondezas. Conrado e os cúmplices da façanha entraram na cidade sem serem notados, e não havia nenhuma testemunha que os pudesse acusar dos prejuízos causados involuntariamente. Mas os proprietários lesados denunciaram o caso às autoridades, que fizeram um inquérito, e como resultado, um pobre caseiro, que vivia nas proximidades do sítio onde se ateara o fogo, foi preso e condenado à morte.

Na praça da cidade, pouco antes da execução do condenado, Conrado não pôde resistir aos remorsos de consciência: reconheceu publicamente ser ele o culpado, embora até certo ponto involuntário, do desastre, e assim salvou uma vida dum inocente. Foi então ele condenado, não à morte, mas ao pagamento de todos os danos causados. Cumpriu a sentença vendendo todos os bens próprios e os da esposa.

Desta sorte, ficaram os dois absolutamente sem nada, numa miséria total. Mas não desesperaram, e aceitaram mesmo essa provação como um sinal do céu. Separaram-se de mútuo acordo, e enquanto a mulher ingressou no mosteiro das Clarissas no convento de Placência, ele emigrou para a Sicília e nas vizinhanças de Noto encetou uma vida eremítica, fez-se terceiro franciscano e viveu em austeridade e oração durante 36 anos, tomando-se famoso pelo rigor da penitência que se infligia. Às sextas-feiras descia à cidade para visitar doentes no hospital, e fazia prolongada oração diante dum célebre crucifixo da catedral. Foi agraciado com o dom dos milagres. Após a morte, que sobreveio aos 61 anos, em 19 de fevereiro de 1351, foi sepultado na catedral onde costumava ir rezar, e aí é venerado, juntamente com S. Nicolau de Bári, como padroeiro da cidade.

Continue lendo...
Aniversariantes do dia:
S. Cornado de Placência 19/02 Vicente da Silva Lopes
Próximos aniversários:
21/02 Ruan Lucas Matins Gonçalves
28/02 João Bosco Resende da Silva
08/03 Joel Postma
09/03 Laércio Jorge de Oliveira
14/03 Kauê Roque de Souza Lima
15/03 Jonas Nogueira da Costa
16/03 Paulo Afonso Aguiar
17/03 José Roney de Freitas Machado
18/03 Carlos Alexandre da Silva Lima
19/03 José da Cruz Kokkelkoren
Eventos
Receba as notícias e artigos da Província Santa Cruz. Cadastre seu e-mail...
Centro Administrativo | WebTop
Seth Comunicação